SAÚDE

Hidrate-se bem e saiba que bebidas podem irritar a bexiga

Marco Lipay Urologia - São Paulo, SP

Imagem: Pixabay

Qual o volume de água devo beber por dia? Esta é uma pergunta que todas as pessoas fazem e não existe uma resposta exata. A razão para esta afirmação ocorre em razão da necessidade de considerarmos vários fatores para aproximar um valor de líquidos a serem ingeridos por dia, como por exemplo: seu peso e altura; sua atividade profissional; se você prática esportes, seus hábitos alimentares, se existe doenças associadas, além das condições climáticas (temperatura e umidade relativa do ar).

 

Sabemos que a hidratação é fator fundamental para manutenção da vida, aproximadamente 50% a 70% do peso corporal é constituído de água.

 

Os líquidos estão envolvidos em importantes funções orgânicas como a manutenção de temperatura, lubrificação de articulações, proteção de tecidos, eliminação de toxinas pela urina, transpiração, evacuação, fluidificação do sangue, entre outros.

 

Conclui-se que não há uma fórmula matemática que se adapte a todos, mas conhecendo melhor seu corpo e hábitos é possível ajustar um volume de líquidos para manter-se hidratado ao longo do dia, caso contrário poderá ocorre uma situação conhecida como desidratação (condição que ocorre quando você não tem água suficiente no corpo para manutenção das funções básicas de células e tecidos).

 

Aproximadamente 20% da ingestão diária de líquidos são provenientes dos alimentos como frutas, verduras e legumes, o restante do volume provem das bebidas. Recomendamos que sempre que possível hidrate-se e dê preferência a água.

 

Falar que o ideal é beber de 2 a 3 litros de água por dia, é um valor aproximado, mas o ideal é você observar outros parâmetros fisiológicos como a manifestação de sede, boca e olhos   ressecados e a cor da urina. O ideal é que sua urina tenha a cor “amarelo citrino” ou um amarelo bem claro.

 

Sugiro que você tome água sempre que manifestar sede, ou urinar pequenos volumes de urina uma escurecida. Outra dica é observar se seus intervalos miccionais são prolongados (maiores que de 4 horas), são sinais que você pode estar desidratado(a).

 

Relembramos que a necessidade de ingestão de líquidos ao dia, pode oscilar em situações como:

 

Exercício. Beba mais água para suprir as perdas pelo suor. É importante beber água antes, durante e depois do treino.

 

Ambiente. Clima quente ou úmido e altitudes, pode fazer você transpirar em excesso, necessitando de mais líquido.

 

Saúde geral. Seu corpo perde líquido quando você tem febre, vômito ou diarreia. Beba mais água ou siga a recomendação de um médico para beber soluções de reidratação oral. Outras condições que podem exigir aumento da ingestão de líquidos incluem infecções da bexiga e cálculos do trato urinário.

 

Gravidez e amamentação. Se você estiver grávida ou amamentando, pode precisar de mais líquidos para se manter hidratada.

 

Bebidas como leite, suco e chás de ervas auxiliam na hidratação. Não recomendamos refrigerantes, sucos industrializados e bebidas alcoólicas.

 

Vale destacar que algumas bebidas podem estimular a bexiga, desencadeando sintomas miccionais irritativos como: urgência miccional, dor na bexiga, ardor ao urinar e até perdas urinárias, a saber:

 

Café, chá (mate, preto), energéticos, adoçantes, refrigerantes a base de cola e chocolate, são ricos em cafeína.

O consumo de cafeína pode ser um fator importante para irritar a bexiga, além de diurético, pode levar a contração do músculo da bexiga. O resultado pode manifestar-se em incontinência urinária, urgência miccional ou dor. A cafeína é encontrada naturalmente em grãos de café, folhas de chá e grãos de cacau, mas também é encontrada em refrigerantes, bebidas energéticas e doces que contenha esses ingredientes na sua formulação.

 

Bebidas carbonatadas. Mesmo quando os refrigerantes não contêm cafeína, as bolhas das bebidas podem causar problemas, em razão do dióxido de carbono presente nos gases desses refrigerantes, que podem resultar na irritação da bexiga. O ideal é evitar bebidas carbonatadas, incluindo água com gás e refrigerante.

 

Cítricos e sucos. Frutas e sucos que tenha um pH ácido,  podem agravar os sintomas irritativos da bexiga e a incontinência. Isso inclui laranjas, abacaxis, tangerinas, limões e limas. Tomates também são frutas e tanto na forma de frutas ou industrializados (molho de tomate, ketchup, sucos e molhos de pimenta) são alimentos que pode desencadear irritação da bexiga.

 

Comidas apimentadas. Pesquisas indicam que alimentos condimentados e pimentas podem irritar o revestimento da bexiga, desencadeando dor, urgência miccional ou desconforto ao urinar.

 

Recomendamos que você mantenha-se hidratado adequadamente e caso manifeste algum sinal ou sintoma urinário, converse com seu Urologista, ele saberá lhe orientar.

 

Referências Consultadas:

Sociedade Brasileira de Urologia

Sociedade Americana de Urologia

Sociedade Americana de Uroginecologia

Associação Americana de Dietética

 

 

Dr Marco Lipay

Cremesp 73891 RQE: 33972

Doutor em Cirurgia (Urologia) pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo)

Titular em Urologia pela Sociedade Brasileira de Urologia

Membro Correspondente da Associação Americana de Urologia

Autor do Livro Genética Oncológica Aplicada a Urologia

Publicações do texto

 

 

Veja também

Câncer de Rim

Os rins são órgãos de cor vermelho escuro, semelhantes a feijões pesando aproximadamente 150g e estão localizados na porção superior da região lombar.

Varicocele

A Varicocele é a dilatação das veias dos testículos (espermáticas) e pode estar presente em até 30% da população masculina em geral.

Reposição Hormonal

A testosterona é o hormônio predominante no sexo masculino e está envolvida em uma infinidade de processos fisiológicos e bioquímicos. É mais conhecido pela ação sobre o desenvolvimento e manutenção das características sexuais masculinas.

urologia

MarcoLipay

agende uma consulta

Dr Marco Lipay
Dr Marco Lipay

Titular em Urologia pela Sociedade Brasileira de Urologia

Titular em Urologia pela Sociedade Brasileira de Urologia

Doutor em Cirurgia - Urologia - pela Universidade Federal de São Paulo

Residência em Urol. pelo Instituto de Urol. e Nefrologia de SJRPA

Doutor em Cirurgia - Urologia - pela Universidade Federal de São Paulo

Residência em Urol. pelo Instituto de Urol. e Nefrologia de SJRPA

Autor do Livro Genética Oncológica Aplicada a Urologia

Autor do Livro Genética Oncológica Aplicada a Urologia

Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Catanduva

Membro Correspondente da Associação Americana de Urologia

Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Catanduva

Membro Correspondente da Associação Americana de Urologia